domingo, julho 27, 2008

Porque não te calas?


Em Portugal, tem-se imposto a moda de ex-líderes de instituições de relevo, que não ficaram propriamente conhecidos por terem feito um trabalho competente, virem para a comunicação social criticar o que os seus sucessores andam a fazer. Foi assim com ex-ministra da Cultura, com o ex-director nacional da Polícia Judiciária e agora com o ex-inspector do caso Maddie.

O que eu gostava de saber é: se este homem tem tanta certeza que foram os pais a ocultar o corpo da filha que morreu por acidente, se tem tanta certeza que foi isso que aconteceu, o que aconteceram às provas que o levaram a essa conclusão? Se ele garante que os pais andam envolvidos no caso e que montaram um circo à melhor maneira dos policiais de hollywood, porque não foi possível prová-lo? Se não tem provas absolutamente algumas, se é apenas o palpite dele, PORQUE NÃO SE CALA? Isto é simplesmente ridículo. Palhaçadas destas apenas servem para aumentar os níveis de leitura do povão, infelizmente pela pior das vias.

4 comentários:

esquizoide disse...

Enquanto não nos capacitarmos que vivemos num palco e que os bastidores não são acessíveis a quase nenhum de nós, não compreendemos certas iniciativas.

A nossa comunicação social é um atentado a essa designação, porque informa pouco e mal, sobre o que convém áqueles que exercem mais pressão.
Parece teoria de conspiração, certo, mas até as teorias de conspiração por vezes (decorrido muito tempo) vêm provar-se verdades..

Adicionalmente, uma vez que foi afastado, sejam quais forem as provas, por circunstanciais que sejam (e essa é a questão pela qual não é feita uma acusação formal), não pode falar nelas, mostrá-las ou provavelmente a aludir a elas sequer. Pode falar de palpites. O segredo de justiça que tanto foi criticado, que permitiu que as nossas forças policiais (que estão entre as melhores do mundo, por incrivel que isso nos possa parecer) fossem rotuladas como incompetentes, porque nem diziam em que passo da investigação se seguia...

E tendo em conta que não há corpo~, não há homicídio. Daí que se batam tanto pela ideia do rapto...

Compreendo a necessidade de falar. Aplaudo a necessidade de falar. Pela injustiça que foi o seu afastamento, e pelo simples exercício do seu direito de não ser obrigado a calar.

IMHO e c o devido respeito, obvio... cumps*

Caetano disse...

Calma que a seguir vem mais uma onda de livros a anunciar a revelação de detalhes que esta edição recente não revela!

JFFR disse...

Lol

Eu acho que este livro sublinha ainda mais a incompetência da Polícia Judiciária. Já sabíamos que os MccCann andavam envolvidos em swings e orgias, que a mãe tinha um diário em que desabafava como os filhos lhe davam volta à cabeça, que a mãe não mostra emoções próprias de mãe ("se fosse eu, desatava logo a chorar ali à frente da câmara!"), que os pais talvez tenham sedado os filhos, que beberam 14 garrafas de vinho ao jantar, agora sabemos que eles estavam combinados com os amigos para abafar e distorcer a morte acidental da filha umas horas antes. E provas, cadê? NADA. seja como for, deixa-me cá publicar um livro.

Beijinhos **** vou relaxar para férias

queixinhas disse...

andavam envolvidos em swings e orgias?????? "sabíamos" ? eu nao sabia! porque é que ninguem me disse?

24 anos, velha carcaça.